Produto Solidário


 

 

Objetivo
Capacitar gratuitamente cooperativas, facilitando a comercialização de seus produtos no mercado varejista.


Abrangência até 2013
•    Bahia: Presidente Tancredo Neves, Ituberá e Valença.
•    Sergipe: Nossa Senhora do Socorro e Campo do Brito.


Resultados
 Aproximadamente R$ 700 mil comercializados no mercado formal.


Cenário
Atualmente, cinco cooperativas são beneficiadas pelo projeto: a Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves, Bahia - Coopatan, a Cooperativa de Produtores de Palmito do Baixo Sul da Bahia - Coopalm, a Cooperativa das Produtoras e Produtores Rurais da APA do Pratigi - Cooprap, a Cooperativa dos Produtores de Mandioca de Campo do Brito - Coofama e a Casa do Artesão, que produzem, respectivamente, farinha de mandioca, palmito em conserva, vassoura de piaçava, farinha de mandioca e sacolas retornáveis (ecobags).


Em 2012, a Coofama passou por uma grande transformação estrutural, graças à participação dos agricultores em diversas capacitações realizadas pelo Instituto GBarbosa em parceria com o SEBRAE e a Fundação Banco do Brasil, ligadas ao manuseio mais adequado dos alimentos e à gestão da produção. Os agricultores trabalham muito e têm domínio prático sobre a produção, e, nos últimos meses, eles realizaram muitas transformações no processo produtivo da farinha, adequando-se ainda mais a requisitos de segurança alimentar e aumentando a produtividade, e, consequentemente, a distribuição de renda em suas comunidades. Hoje, a Coofama é uma grande fornecedora para as redes de varejo e isso é o resultado de muito investimento. 


Contexto
Em 18 de abril de 2008, foi assinado o protocolo de intenções entre o Instituto GBarbosa -IGB e a Fundação Odebrecht, através do qual as duas instituições firmaram uma parceria em que a Rede GBarbosa se comprometia a comercializar os chamados “produtos solidários”. O primeiro grupo de empreendimentos da economia solidária apoiado foi o DIS-Baixo Sul. Nesta parceria, a Fundação Odebrecht assessorou as organizações a melhorarem seus processos produtivos, o Instituto GBarbosa ajudou a planejar e a melhorar a logística e a comercialização, e a rede supermercadista atuou como ponto de escoamento para a produção dos mais diversos artigos.


A parceria foi estendida a outras organizações e chegou a 2012 comercializando palmito, vassouras de piaçava e farinha de mandioca, e a participação do GBarbosa, como agente finalizador dos Arranjos Produtivos – APL’s, proporciona uma viabilidade econômica superior para os empreendimentos envolvidos. 


Em 2013 os pedidos realizados pelas redes de varejo continuaram acontecendo, consequentemente os benefícios também. A Cooperativa das Produtoras e Produtores Rurais da APA do Pratigi – COOPRAP, responsável pela produção de vassouras, teve um crescimento na renda média dos cooperados de mais de 54%. Além disso, somados as vendas de todas as cooperativas, foram comercializados mais de R$ 700 mil no mercado formal.  


Ao adquirir um produto solidário, o cliente da rede de varejo está contribuindo para a ocupação disciplinada do solo, o uso racional dos recursos naturais, a preocupação com a não utilização de mão de obra infantil e a eliminação de atravessadores, além de outros fatores baseados nos critérios do Comércio Justo que contribuem para o desenvolvimento integrado e sustentável de toda a sociedade.